Buscar
  • solucoesambientais23

DICAS PARA PLANTIO DE PITAYA


A pitaya tem origem na floreta tropical nas Américas Central e do Sul, mas hoje o país que lidera a produção mundial é a Índia. Também conhecida como fruta do dragão por seu aspecto exótico e cores vibrantes é rica em nutrientes e tem inúmeros benefícios a saúde. É uma planta perene e com expectativa de produção ao longo de 15 anos. Por isso é importante fazer um planejamento inicial do cultivo, em especial no que diz respeito à implantação e à forma de condução.

Escolha das mudas: o plantio da pitaya é feito com o caule da planta retirado de uma planta mãe para se iniciar um cultivo. A escolha da planta mãe é muito importante, pois o novo plantio mantem as características da planta mãe e ainda permite a precocidade na produção. Assim, deve-se optar por uma planta mãe sem sintomas de doenças e bastante produtiva.

Plantio: as mudas retiradas da planta mãe podem ser levadas direto ao campo (de 07 a 10 dias após a cicatrização do corte) e plantadas (Figura 3) ou podem ser colocadas em sacos de polietileno para que enraízem antes do transplantio. O plantio de pitaya deve ser feito com mudas maiores que 25 cm, pois estudos mostram que o tamanho da muda favorece o enraizamento e o 'pegamento'. Os espaçamentos utilizados são de 3x3 m ou 3x2 m, pois favorecem os manuseios futuros na cultura como podas e colheita. Para o plantio, devem ser feitas covas de 50x50x50 cm e, na terra retirada da parte superior da cova, denominada “terra rica”, deve ser misturada toda a adubação de plantio. Uma vez misturada a “terra rica” com os adubos, essa mistura deve ser a primeira a ser recolocada dentro das covas.


A pitaya é uma planta trepadeira e, independente do sistema de condução escolhido, será necessário o amarrio da muda com o uso de barbante ou fitilho para facilitar o crescimento da planta no sentido do tutor. As brotações laterais são eliminadas por meio de podas para que apenas um ou dois ramos alcancem a altura do pneu ou da trave. Após atingirem essa altura, devesse favorecer o surgimento de brotações laterais, que darão origem aos frutos, pelo arqueamento dos ramos.

Adubação de cobertura: mesmo sendo uma planta rústica, a pitaya responde com aumento de produtividade a doses crescentes de adubo. Valores que podem chegar a 300 kg de potássio (K2O) por ha. Podendo ser realizado o manejo de nitrogênio com o AduBio em duas aplicações (outubro e dezembro) de 0,250kg cada.


Formas de condução: Na escolha do sistema de condução, considera-se o custo inicial de implantação e o longo período produtivo da fruta. Têm-se diversas formas de conduzir o plantio de pitaya e a escolha é feita pelo produtor rural, sabendo, porém, que os materiais escolhidos têm que ser de qualidade para que as estruturas fiquem reforçadas e durem por muitos anos. Apresentamos dois sistemas de condução:

Sistema com uso de pneus: é a condução feita com o uso de tutor e pneus velhos. O tutor utilizado é de eucalipto tratado ou postes de concreto. Se for de eucalipto tratado, optar por estacas de diâmetros maiores que 14 ou 16 cm. Os postes de concreto encarecem a implantação, porém têm maior vida útil.

O tutor pode ter de 1,6 a 2 m de altura a partir do nível do solo e na sua ponta são colocadas cruzetas de vergalhão de meia polegada para servirem de fixação para o pneu.

Sistema em T: essa condução é feita com a utilização de tutores, traves e arame. O tutor também pode ser de eucalipto tratado ou postes de concreto e ter 1,6 a 2 m de altura a partir do solo.

Florescimento e polinização: as flores da pitaya começam a abrir no fim de tarde e completam sua abertura no período noturno. A floração ocorre entre os meses de outubro a abril, com picos de florescimento entre dezembro e fevereiro. Quando abertas, as flores exalam um perfume para atrair agentes polinizadores como abelhas, mamangavas, mariposas e morcegos.

As flores são laterais, noturnas, com 20 a 35 cm de comprimento, brancas, completas, perfumadas ao abrir a noite, quando são polinizadas por insetos. Contêm numerosos estames, tendo sido contados acima de 800 em uma só flor, arranjados em duas fileiras, ao redor do pistilo formado por 14 a 28 estiletes de cor creme. As sépalas são de cor verde-clara. O pólen é abundante e de cor amarela.


Colheita: a colheita da pitaya acontece entre dezembro e abril e retira-se o fruto quando a casca fica totalmente da cor característica da espécie, seja vermelha ou amarela. Os tipos de pitaya são: Pitaya amarela com polpa branca, pitaya rosa com polpa vermelha e pitaya vermelha com polpa branca.

Para se ter um excelente cultivo , deve-se plantar de maneira correta, realizar as podas quando necessárias e permitir boa oxigenação das raízes, pois são as elas que buscam nutrientes necessários e na cultura da pitaya, as raízes ficam expostas.

A planta gosta de sombra e agua em temperatura controlada, originalmente cresce em rochas e arvores. Chega a crescer ate 1,40 metros. É neste ponto que deve-se realizar a primeira poda, cortando suas pontas para indicar que não deve mais crescer e sim aumentar suas raízes para produzir os frutos. São cerca de 3 anos de colheita farta ate colocar novas mudas. Caso não realize a primeira poda que determina a altura, ela dará frutos no primeiro ano e nos seguintes ocorrera atraso na produção. E possível ter rendimento de ate 40 toneladas por hectare da fruta.

Vale lembrar que a pitaya é uma cactácea que gosta de luz do sol. Na adubação, use sempre fertilizantes orgânicos.

O Nitrogênio (N) que é um dos principais e nutrientes presentes no AduBio, é muito importante na cultura da pitaya, sendo o teor do nutriente e da clorofila altamente correlacionados com a capacidade de captação de CO2.

Doses de (N) proporcionam respostas significativas no crescimento inicial da pitaya. A matéria orgânica possui características importantes devido à liberação gradual dos nutrientes, tornando a solução do solo mais equilibrada.

A pitaya se tornou uma fonte de renda para agricultura familiar. A busca por uma vida saudável com trabalhos menos pesados e longe dos agrotóxicos foi fator motivador de muitas famílias a trocarem as lavouras pelo pomar de pitaya.

A adubação orgânica obtém resultados positivos no crescimento da pitaya. Contudo, é necessário fazer a analise de solo para tomada de decisão mais criteriosa em cada região de cultivo.

Da fruta são feitos vários produtos entre eles, geleias, sorvetes, bebidas, sucos, cosméticos entre outros.

Tabela nutricional da pitaya

Metade de uma pitaya (100 g) tem cerca de apenas 60 calorias (kcal). Assim, nas reduzidas calorias da pitaya, encontra-se uma rica diversidade de nutrientes e minerais essenciais para o nossa saúde.

Compare os valores nutricionais da pitaya rosa de polpa branca e da pitaya rosa de polpa vermelha.




50 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo