Buscar
  • solucoesambientais23

COMO PLANTAR E CULTIVAR COUVE MANTEIGA?


A couve de folha é uma das principais hortaliças folhosas cultivadas. É uma planta anual ou bienal. Possui o caule ereto, por vezes longo, com folhas grandes, coloração verde-claro a escuro conforme a variedade e pode atingir cerca de 60 cm a 1 metro de altura.

Ela é uma hortaliça muito rica em minerais (cálcio, ferro e fósforo) e vitaminas (A, complexo B e C). Ela é excelente para combater problemas digestivos, enfermidades do fígado, cálculos renais, evitar a má disposição e aliviar dores causadas pelas úlceras gástricas.

Além de ter cálcio e magnésio, ela carrega esses dois minerais na proporção adequada. O cálcio precisa do magnésio na medida certa para conseguir exercer suas funções; entre elas, formar a massa óssea.

Plantio

A couve de folha pode ser propagada por sementes ou por mudas, dependendo da cultivar. No Brasil, o método preferido pelos agricultores é a propagação vegetativa, com a formação de mudas a partir de brotos que surgem nas axilas das folhas, na maioria das cultivares. As couves híbridas não produzem brotos, sendo a propagação destas feita via sementes.

As sementes podem ser semeadas diretamente na horta ou podem ser semeadas em sementeiras e outros recipientes, com as mudas sendo transplantadas quando têm de 4 a 6 folhas verdadeiras e estão com pelo menos 10 cm de altura. A couve também pode ser cultivada em vasos com um mínimo de 25 cm de diâmetro e altura.

Luminosidade

A couve é uma cultura típica de outono-inverno, bem adaptada ao frio intenso e resistente à geada. Cultive em condições de alta luminosidade, com sol direto. Nas estações mais quentes do ano, prover sombra parcial nas horas mais quentes do dia pode ser benéfico para as plantas.

Adubação

A adubação orgânica deve ser aplicada cerca de 30 dias antes do plantio das mudas, pode ser com esterco bovino, suínos, esterco de galinha ou cama de frango, todos bem compostados e bioestabilizados. Ou ainda, escolha um fertilizante orgânico como o AduBio,


Para adubação química, aplicar em média 200 g/m2 de NPK da formula 12-04-12, e adubação em cobertura parceladas de 20 em 20 dias, dependendo da análise de solo. A adubação mineral geralmente é feita no plantio e adubação de cobertura para complementar com formulas NPK.


Para adubação com AduBio (fertilizante orgânico nitrogenado) a adubação pode ser feita no preparo do solo, e logo pode ser realizado o transplante das mudas, uma vez que o AduBio possui mineralização lenta de nutrientes, permitindo a disponibilidade gradativa e contínua dos nutrientes para as plantas por até 3 meses quando o uso de AduBio em Pó, dispensando aplicações parceladas de nitrogênio e reduzindo, assim, os custos na formação e manutenção do cultivo. Sendo assim, recomenda-se uma nova aplicação de AduBio, 3 meses após o transplante.

Recomenda-se, para o cultivo de couve manteiga, a aplicação de AduBio em pó na quantidade de 150 g/m2, ou 100g/planta. O AduBio deve ser sempre incorporado ao solo, ou quando feito adubação ao pé da planta, este deve ser enterrado sob solo. Facilitando a mineralizam o AduBio pelos microorganismos de forma mais eficaz.

A couve é uma hortaliça de folha exigente em boro e molibdênio, o AduBio fornece esse e outros macro e micronutrientes em pequenas quantidades.

A definição sobre a aplicação de menores ou maiores quantidades de nutrientes no plantio e em cobertura dependerá de fatores como adubação orgânica anterior, interpretação da análise do solo e recomendação técnica.

Irrigação

O solo deve ser mantido sempre úmido, mas bem drenados. A falta de água provoca o murchamento das plantas e, juntamente com a insolação, podem acarretar queimaduras nas folhas e nos brotos, causando a perda na produção ou ainda a morte da couve. Por outro lado, o excesso de umidade, pode causar podridão das raízes e favorecer a incidência de doenças.

Colheita

A colheita das folhas inicia-se dois meses após o transplante das mudas. O crescimento das plantas é favorecido se o produtor retardar o início da primeira colheita, possibilitando um desenvolvimento melhor a parte aérea e do sistema radicular, aumentando o ciclo de colheita da cultura.

Nas operações de colheita, o produtor deve retirar os brotos “ladrões” que surgem nas axilas das folhas, os quais podem ser utilizados para formação de mudas. A colheita é realizada a cada 7-10 dias em uma mesma planta, sendo retiradas as folhas bem desenvolvidas. Evite colher às folhas nas horas mais quentes do dia e deixe pelo menos de 3-5 folhas mais jovens no caule. Em condições adequadas, a couve pode produzir por alguns poucos anos sem necessidade de replantio.

Controle de pragas

Dentre as principais pragas da couve destacam-se os temidos: pulgão (Brevicoryne brassicae) e a lagarta curuquerê (Ascia monuste orseis). Quando a incidência é pequena ou inicial, os insetos podem ser controlados por catação manual. No caso de grande incidência de pragas como em cultivos comerciais, o controle é feito com a aplicação de inseticidas sintéticos, porém, podem ser utilizados inseticidas naturais. No caso dos pulgões são indicados dentre os produtos naturais, o Nim, extratos de alho e pimenta, as caldas de fumo e o sabão de coco. Com relação ao controle de lagartas, deve ser destacado o inseticida microbiano à base de Bacillus thuringiensis (Bt), é eficaz e seguro para o meio ambiente e para o aplicador.


Fonte: http://blog.cicloorganico.com.br/hortas-e-jardins/saiba-como-plantar-e-cultivar-couvemanteiga/#:~:text=Plantio,menos%2010%20cm%20de%20altura.&text=Semeie%20as%20sementes%20a%20aproximadamente%201%20cm%20de%20profundidade
https://www.iac.sp.gov.br/publicacoes/arquivos/iacbt214.pdf


4 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo